Exposição Sensibilidades Reveladas

Exposição Sensibilidades Reveladas curadoria de Almerinda Lopes

Classificação: livre

Abertura: 21 de agosto (terça-feira), às 19h30

Visitação: 22 de agosto (quarta-feira) a 25 de novembro (domingo)

Horários de visitação:

Terça a sexta, das 11h às 20h;

Sábado e domingo, das 11h às 19h (exceto feriados)

Local: Espaço Expositivo Levino Fanzeres  | Visitação: gratuita

O Centro Cultural Sesc Glória presta tributo ao Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo, pela comemoração dos seus sessenta anos de atuação. Foi a primeira e única Escola de Artes do Espírito Santo, celeiro de artistas e professores que aqui chegaram com suas respectivas carreiras já estabelecidas, vindos de diferentes estados brasileiros para compartilhar conhecimentos e experiências artísticas com jovens capixabas que buscavam, na academia, desenvolver a sensibilidade e o talento nato. Estes últimos, posteriormente, deram continuidade aos ensinamentos e às lutas em prol da arte, encetadas por aqueles pioneiros mestres. Integram a mostra dez artistas de diferentes gerações, procedências e linguagens expressivas, os quais, além de responsáveis pela formação de inúmeros artistas e professores, contribuíram e continuam a contribuir para a atualização de linguagens, suportes e processos artísticos. Essa variada produção, cujo arco temporário começa nos anos de 1970 e se estende à atualidade, não se pauta, obviamente, pela simetria estética ou pela afinidade entre as gramáticas visuais, mas pretende contemplar as diversas tendências criativas que elaboram e veiculam dentro e fora de nosso Estado. A exposição revitaliza, assim, a história da instituição e, consequentemente, a história da arte no Espírito Santo, apresentando ao público uma pequena parcela da produção de alguns de nossos mais reconhecidos artistas, que se expressam por meio de desenho, gravura, pintura, escultura, fotografia, vídeo, ou por processos híbridos e conceitualistas. Alguns dos artistas envolveram-se, ainda, com a criação de significativos eventos, a fim de difundir as práticas artísticas pelo interior do estado, os quais marcaram época e se tornaram referência não apenas local, mas nacional, como o Festival de Verão de Nova Almeida e a Semana de Arte. Outros tiveram participação destacada na fundação e na gestão de emblemáticas instituições artístico-culturais. São eles: Attílio Colnago, Hilal Sami Hilal, Fernando Augusto, Joyce Brandão, Nelma Pezzin, Márcia Capovilla, Raphael Samú, Ronaldo Barbosa, Vilar e Walace Neves.

 

Evento Detalhes