Etapa nacional da Mostra Sesc de Cinema acontece neste mês no Sesc Glória

Produções inéditas de cinco regiões do país estarão em cartaz até o dia 21 deste mês, no CineSesc Glória, durante a Mostra Sesc de Cinema, etapa nacional. No total serão exibidos oito longas e 26 curtas metragens, que foram indicados por curadorias locais e premiados, em seus respectivos estados, pela Mostra. Todas as sessões terão entrada franca.

Promover a difusão da produção cinematográfica brasileira que não chega ao circuito comercial de exibição, contribuir para o campo audiovisual sendo um espaço de lançamento e promoção de artistas de todo o país são os propósitos da Mostra.

A programação do evento tem início na quinta (30) com a exibição do documentário “Limpam com fogo” (SP), premiado como destaque de direção. Na sexta-feira (01), às 19h20, será a vez do “Tropykaos”(BA). No sábado (02), às 19h20, será exibido o documentário “Catadores de Histórias” (DF). No domingo (03) o documentário “A Dama do Rasqueado”(MS) será exibido às 19h20.

Os curta-metragens são no total 26 e foram divididos em cinco programas em função do tempo de duração que pode variar entre 68 a 90 minutos. A partir de 07 de dezembro, a cada dia um programa será exibido nas sessões das 17h30. A exibição dos longas e dos curtas seguirá durante o restante do mês até o dia 21.

O público infantil também terá um espaço na programação para o público infantil. Serão exibidos cinco curtas infantis com duração de 65 minutos aos sábados às 14h30 e aos domingos às 17h30. As produções são de estados como São Paulo, Porto Alegre, Natal, Florianópolis e Bahia. Os títulos em cartaz serão: “O Melhor Som do Mundo”; “Lipe, o Vovô e o Mostro”; “O Menino do dente de ouro”; “ Meu tio que me disse” e “Astrogildo e a astronave”. Confira a programação completa na fanpage do CineSesc Glória.

Programação de 02 a 12 de dezembro :

– Catadores de Histórias, de Tania Quaresma. Documentário, 2016, Brasília (DF), 76min, Livre

O cotidiano dos catadores de materiais recicláveis que se sustentam através do que a sociedade chama de “lixo”. O documentário desvenda a multifacetada realidade desses profissionais que conseguem dar exemplo de união, dignidade, solidariedade e cidadania. Em cartaz: 02,08 e 17/12, às 19h20

– A Dama do Rasqueado, de Marinete Pinheiro. Documentário, 2017, Campo Grande (MS), 75min, Livre

Precursora do rasqueado, Delinha é considerada A Grande Dama de Mato Grosso do Sul. Com 80 anos de idade, sendo mais de 50 dedicados à música, ela continua cantando e encantando nos bailes repletos de fãs. O filme mostra a trajetória da cantora. Em cartaz: 03, 07 e 16/12, às 19h20.

– Central, de Tatiana Sager. Documentário, 2016, Porto Alegre (RS), 87 min, 12 anos.

Notícia constante na mídia nacional e internacional, o Presídio Central de Porto Alegre é analisado por representantes do Poder Judiciário e pesquisadores, além de policiais militares, familiares e, principalmente, os presos. Imagens mostram o interior das galerias, onde os guardas não entram, e os próprios presidiários, organizados em facções, detêm o comando. Em cartaz: 05 e 15/12, às 19h20.

– Cores e Flores para Tita, de Susan Kalik. Documentário, 2016, Salvador (BA), 92 min, 12 anos.

O filme aborda a transgeneridade a partir de uma exposição que Andréa Magnoni realizou, em maio de 2016, em homenagem ao seu tio Renato “Tita”, homem trans que foi morto em 1973. O documentário constrói um diálogo entre o desprezo enfrentado por Tita há mais de 40 anos e a luta contra a transfobia nos dias atuais. Em cartaz: 06 e 14/12, às 19h20

– Tropykaos, de Daniel Lisboa. Ficção, 2015, Salvador (BA), 82min, 18 anos.

Tropykaos é realismo caótico. Guima, um jovem poeta, tenta interagir com a cidade, fazer parte dela, mas parece não ter corpo para isso. O Sol é a metáfora maior de um sistema violento que adormece e agride a todos. Em cartaz: 09 e 19/12, às 19h20.

– Matéria de Composição, de Pedro Aspahan. Documentário, 2013, Belo Horizonte (MG), 82 min, Livre

A criação da composição musical contemporânea na relação com o cinema. Foi entregue um mesmo vídeo-ensaio a três compositores, Guilherme Antônio Ferreira, Teodomiro Goulart e Oiliam Lanna, para que criassem uma peça musical que dialogasse com o vídeo. Em cartaz: 10 e 20/12, às 19h20

– Em 97 era assim, de Zeca Brito. Ficção, 2016, Porto Alegre (RS), 90 min, 14 anos.

Em 1997, quatro adolescentes iniciam um ciclo de descobertas. Seguindo o ponto de vista de Renato, somos levados para esse universo. Ele se depara com as primeiras dúvidas e anseios da juventude, e a principal delas é perder a virgindade. Nessa busca, vão descobrir algo que não se ensina nos livros do colégio nem nas revistas: o valor da verdadeira amizade. Em cartaz: 12 e 21/12, às 19h20

– Limpam com Fogo, de César Vieira, Conrado Ferrato e Rafael Crespo. Documentário, 2016, São Paulo (SP), 85min, 14 anos

O documentário joga luz sobre o problema dos incêndios de favelas em São Paulo e suas relações com a especulação imobiliária. Entre as soluções e complicações apontadas por pesquisadores e políticos, estão as histórias das vítimas que mostram como a cidade pode ser cruel com seus moradores menos privilegiados. Em cartaz: 13/12, às 19h20.

Programa 1 de exibição de curtas:

Em cartaz nos dias: 07,13 e 19/12, às 17h30

Duração Total: 68 min

Classificação: 16 anos.

 

Programa 2 de exibição de curtas:

Em cartaz nos dias: 08, 14, e 20/12, às 17h30

Duração Total: 74 min

Classificação: 14 anos

Programa 3 de exibição de curtas:

Em cartaz nos dias: 09, 15 e 21/12, às 17h30

DURAÇÃO TOTAL: 78 min – Não recomendado para menores de 14 anos

Programa 4 de exibição de curtas:

Em cartaz nos dias: 10 e 16  às 17h30

DURAÇÃO TOTAL: 73 min – Não recomendado para menores de 14 anos

Programa 5 de exibição de curtas:

Em cartaz nos dias: 12 e 17/12, às 17h30

DURAÇÃO TOTAL: 73 min – Não recomendado para menores de 14 anos

 

Programa de Curtas Infantis:

Em cartaz nos dias: 02, 09 E 16/12, às 14h30

DURAÇÃO TOTAL: 65 min – Classificação livre

Deixe um comentário